segunda-feira, 31 de maio de 2010

PROJETO PROFUNCIONÁRIO - E. E. MARIA CORRÊA DIAS

CONFECÇÃO DO PAINEL TEMÁTICO DO PROJETO PROFUNCIONÁRIO - 2010
E. E. MARIA CORRÊA DIAS - ANASTÁCIO - MS
CURSISTAS:
Edna da Silva Vieira
Nadir Lima do Nascimento
Otilia de Fátima Freitas Artigas
Romilda Aparecida Recalde Treves

Croqui do painel a ser realizado aplicando técnicas de construção.
Os amigos da escola Julian Lennon e Emerson.

O resultado final depois de 11 horas de muito trabalho.


Agradecimentos:

A coordenadora do Projeto Profuncionário Eulália e as tutoras Gisele e Maikely.
A direção escolar Maria Aparecida da Silva Ribeiro e as coordenadoras pedagógicas Eliane Carpejani e Irene Batista.
Aos amigos da escola e colaboradores: Hudson, Julian Lennon, Emerson, Prof. Alceu e Prof. Rodnei Custódio.
As professoras Geisa e Maria Iolanda e seus alunos.
As amigas e cursistas deste projeto no longo desta caminhada.

sexta-feira, 28 de maio de 2010

DICAS PARA SABER - RAÍZES

RAÍZES DE NÚMEROS COM ZEROS


Quando queremos calcular a raiz quadrada, cúbica, quarta, ... de um número com zeros, devemos extrair a raiz apenas do número significativo (sem os zeros), seguido da metade, terça parte, quarta parte, ... dos zeros (se isso não for possível, é porque a raiz não é exata).
Exemplos:

A raiz quadrada de 4 é 2.
A raiz quadrada de 400 é 20 (raiz de 4 seguido da metade de zeros).
A  raiz quadrada de 40.000 é 200 (raiz de 4 seguido da metade de zeros).
A raiz cúbica de 27 é 3.
A raiz cúbica de 27.000 é 30 (raiz de 27 seguido da terça parte dos zeros).
A raiz cúbica de 27.000.000 é 300 (raiz de 27 seguido da terça parte dos zeros).
A raiz quarta de 1 é 1.
A raiz quarta de 10.000 é 10 (raiz de 4 seguido da quarta parte dos zeros).
A raiz quarta de 100.000.000 é 100 (raiz de 4 seguido da quarta parte dos zeros).

RAÍZES DE NÚMEROS DECIMAIS

Quando queremos calcular a raiz quadrada, cúbica, quarta, ... de um número com casas decimais, devemos extrair a raiz apenas do número significativo (sem a vírgulas e os zeros), com a metade, terça parte, quarta parte, ... das casas decimais (se isso não for possível, é porque a raiz não é exata).
Exemplos:

A raiz quadrada de 4 é 2.
A raiz quadrada de 0,04 é 0,2 (raiz de 4 com a metade das casas decimais).
A raiz quadrada de 0,0004 é 0,02 (raiz de 4 com a metade das casas decimais).
A raiz cúbica de 27 é 3.
A raiz cúbica de 0,027 é 0,3 (raiz de 27 com a terça parte das casas).
A raiz cúbica de 0,000 027 é 0,03 (raiz de 27 com a terça parte das casas).
A raiz quarta de 1 é 1.
A raiz quarta de 0,0001 é 0,1 (raiz de 4 com a quarta parte das casas).
A raiz quarta de 0,000 000 01 é 0,01 (raiz de 4 com a quarta parte das casas).

ADVINHAÇÕES

Situações envolvendo a adivinhação de números? Sempre aparecem novas, de modo que teríamos praticamente infinitos casos para serem apresentados....


O interessante deste caso é que ele só dá certo neste ano!!!.

Portanto, antes que o ano 2000 acabe, participe desta "adivinhação". O "teste" é bem rápido!! Se você estiver com uma calculadora, é melhor...

Sugestão: abra a calculadora do Windows.

I) Vá fazendo a conta conforme lê.

II) Primeiramente, anote o número de dias que você gostaria de jantar fora numa semana.

III) Multiplique este número por 2.

IV)  Ao resultado, some 5.

V) Multiplique o número que você obteve por 50.

VI) Agora você deve somar...

Se você já aniversariou este ano, acrescente 1750. Se ainda não, acrescente 1749.

VII) Agora, subtraia o ano em que você nasceu.


Veja seu resultado...

Você deve ter chegado a um número com 3 algarismos:

O primeiro dígito desse é o primeiro número que você pensou (quantas vezes você gostaria de jantar fora em uma semana).

Os dois seguintes são a sua idade.

CURIOSIDADES DA MATEMÁTICA - SISTEMA MÉTRICO


A palavra metro tem origem no grego métron, que significa "o que mede".

O sistema métrico surgiu por volta do ano de 1790. Antes disso, cada povo usava um sistema de unidades diferentes, o que, naturalmente, causava a maior confusão. Por exemplo: o mesmo comprimento era medido em um lugar usando-se jardas e em outro com o uso de palmos. O resultado disso tornava praticamente impossível a comunicação entre os povos.

Para solucionar esse problema, reformadores franceses escolheram uma comissão de cinco matemáticos para que elaborassem um sistema padronizado. Essa comissão decidiu que a unidade de medida de comprimento se chamaria metro, e que corresponderia a décima milionésima parte da distância do equador terrestre ao polo norte, medida ao longo de um meridiano.

Mas a medida da distância do equador ao polo não era nada prática, tanto que ao efetuarem os cálculos os matemáticos acabaram cometendo um erro. Então em 1875 uma comissão internacional de cientistas foi convidada pelo governo françês para que reconsiderassem a unidade do Sistema Métrico, e dessa vez foi contruída uma barra de uma liga de platina com irídio, com duas marcas, cuja distância define o comprimento do metro, e para evitar a influência da temperatura, esta barra é mantida a zero grau centígrado, num museu na Suíça.

Mas os cientistas não pararam por aí, no decorrer do tempo foram sendo propostas novas definições para o metro. A última, e que passou a vigorar em 1983, é baseada na velocidade com que a luz se propaga no vácuo.

Resumidamente, pode-se dizer que um metro corresponde a fração 1/300.000.000 da distância percorrida pela luz, no vácuo em um segundo.




Sete motivos pelos quais um professor deveria, de fato, criar um blog.

Sete motivos pelos quais um professor deveria, de fato, criar um blog.

1- É divertido

É sempre necessário termos um motivo genuíno para fazer algo e, realmente, não há nada que legitime mais uma atividade que o fato de ela ser divertida. Um blog é criado assim: pensou, escreveu. E depois os outros comentam. Rapidamente, o professor vira autor e, ainda por cima, tem o privilégio de ver a reação de seus leitores. Como os blogs costumam ter uma linguagem bem cotidiana, bem gostosa de escrever e de ler, não há compromisso nem necessidade de textos longos, apesar de eles não serem proibidos. Como também é possível inserir imagens nos blogs, o educador tem uma excelente oportunidade de explorar essa linguagem tão atraente para qualquer leitor, o que aumenta ainda mais a diversão. O professor, como qualquer “blogueiro”, rapidamente descobrirá a magia da repercussão de suas palavras digitais e das imagens selecionadas (ou criadas). É possível até que fique “viciado” em fazer posts e ler comentários.

2- Aproxima professor e alunos

Com o hábito de escrever e ter seu texto lido e comentado, não é preciso dizer que se cria um excelente canal de comunicação com os alunos, tantas vezes tão distantes. Além de trocar idéias com a turma, o que é um hábito extremamente saudável para a formação dos estudantes, no blog, o professor faz isso em um meio conhecido por eles, pois muitos costumam se comunicar por meio de seus blogs. Já pensou se eles puderem se comunicar com o seu professor dessa maneira? O professor “blogueiro” certamente se torna um ser mais próximo deles. Talvez, digital, o professor pareça até mais humano.

3- Permite refletir sobre suas colocações

O aspecto mais saudável do blog, e talvez o mais encantador, é que os posts sempre podem ser comentados. Com isso, o professor, como qualquer “blogueiro”, tem inúmeras oportunidades de refletir sobre as suas colocações, o que só lhe trará crescimento pessoal e profissional. A primeira reação de quem passou a vida acreditando que diários devem ser trancados com cadeado, ao compreender o que é um blog, deve ser de horror: “O quê? Diários agora são públicos?”. Mas pensemos por outro lado: que oportunidade maravilhosa poder descobrir o que os outros acham do que dizemos e perceber se as pessoas compreendem o que escrevemos do mesmo modo que nós! Desse modo, podemos refinar o discurso, descobrir o que causa polêmica e o que precisa ser mais bem explicado ao leitor. O professor “blogueiro” certamente começa a refletir mais sobre suas próprias opiniões, o que é uma das práticas mais desejáveis para um mestre em tempos em que se acredita que a construção do conhecimento se dá pelo diálogo.

4- Liga o professor ao mundo

Conectado à modernidade tecnológica e a uma nova maneira de se comunicar com os alunos, o educador também vai acabar conectando-se ainda mais ao mundo em que vive. Isso ocorre concretamente nos blogs por meio dos links (que significam “elos”, em inglês) que ele é convidado a inserir em seu espaço. Os blogs mais modernos reservam espaços para links, e logo o professor “blogueiro” acabará por dar algumas sugestões ali. Ao indicar um link, o professor se conecta ao mundo, pois muito provavelmente deve ter feito uma ou várias pesquisas para descobrir o que lhe interessava. Com essa prática, acaba descobrindo uma novidade ou outra e tornando-se uma pessoa ainda mais interessante. Além disso, o blog será um instrumento para conectar o leitor a fontes de consulta provavelmente interessantes. E assim estamos todos conectados: professor, seus colegas, alunos e mundo.

5- Amplia a aula

Não é preciso dizer que, com tanta conexão possibilitada por um blog, o professor consegue ampliar sua aula. Aquilo que não foi debatido nos 45 minutos que ele tinha reservados para si na escola pode ser explorado com maior profundidade em outro tempo e espaço. Alunos interessados podem aproveitar a oportunidade para pensar mais um pouco sobre o tema, o que nunca faz mal a ninguém. Mesmo que não caia na prova.

6- Permite trocar experiências com colegas

Com um recurso tão divertido em mãos, também é possível que os colegas professores entrem nos blogs uns dos outros. Essa troca de experiências e de reflexões certamente será muito rica. Em um ambiente onde a comunicação entre pares é tão entrecortada e limitada pela disponibilidade de tempo, até professores de turnos, unidades e mesmo escolas diferentes poderão aprender uns com os outros. E tudo isso, muitas vezes, sem a pressão de estarem ali por obrigação. (É claro que os blogs mais divertidos serão os mais visitados. E não precisamos confundir diversão com falta de seriedade profissional.)

7- Torna o trabalho visível

Por fim, para quem gosta de um pouco de publicidade, nada mais interessante que saber que tudo o que é publicado (até mesmo os comentários) no blog fica disponível para quem quiser ver. O professor que possui um blog tem mais possibilidade de ser visto, comentado e conhecido por seu trabalho e suas reflexões. Por que não experimentar a fama pelo menos por algum tempo?


Antes de fazer seu próprio blog, vale a pena consultar as realizações de algumas pessoas comuns ou dos mais variados profissionais. Faça uma busca livre pela Internet para descobrir o que se faz nos blogs pelo mundo afora e (re)invente o seu!


Referências bibliográficas:
DICKINSON, Guy. Weblogs: can they accelerate expertise? Tese de mestrado em Educação da Ultralab, Anglia Polytechnic University, Reino Unido, 2003. Acesso em: 29 jul. 2005.

GENTILE, Paola. Blog: diário (de aprendizagem) na rede. Nova escola, jun./jul. 2004. Acesso em: 29 jul. 2005.

KOMESU, Fabiana Cristina. Blogs e as práticas de escrita sobre si na Internet. In: MARCUSCHI, Luiz Antônio; XAVIER, Antônio Carlos. Hipertexto e gêneros digitais. Rio de Janeiro: Lucerna, 2004.

LEARNING and Leading with Technology. BlogOn, 2005. vol 32, n. 6.

quarta-feira, 12 de maio de 2010

PROJETO "TAREFA ACOMPANHADA"

PROJETO “TAREFA ACOMPANHADA”

PROBLEMÁTICA:
              Percebendo a necessidade de realizar um fazer metodológico diferenciado e seguindo as orientações da SEMED – Secretaria Municipal de Educação, o presente projeto vem de encontro com a importância de trabalhar uma visão ampla do ensino da disciplina de Matemática no cotidiano do aluno, para que assim estes possam estar sendo preparados para a realização das avaliações internas e externas da Semed.
              Deste modo o presente pretende envolver os pais ou responsáveis pelo educando, na construção do saber matemático e acompanhamento vigiado das atividades e ações realizadas pela escola.
PÚBLICO ALVO:

            Os alunos das séries finais do ensino fundamental, no período matutino e vespertino, do 8° ano A e 9° anos A, B e C.
OBJETIVOS:
            Preparar os alunos para as avaliações internas e externas da Semed, Olimpíadas Brasileiras de Matemática, Prova Brasil e outras, utilizando do recurso de tarefas como um mecanismo de acompanhamento vigiado pelos pais ou responsáveis pelo educando.
METODOLOGIA:
           Semanalmente os alunos irão receber uma lista de atividades, contemplando os descritores de Matemática das séries finais do ensino fundamental, que deverão realizar em casa com a ajuda dos pais ou responsáveis, que terá que assinar a atividade realizada dando ciência que está acompanhando a realização do projeto e construção do conhecimento matemático de seus filhos (as). O professor deverá fazer a devolutiva para os alunos, assim estará tirando dúvidas e preparando-os para a realização de avaliações futuras.
RECURSOS:
- Cópia das atividades;
CRONOGRAMA:
 As atividades serão realizadas durante o segundo semestre de 2009 e o ano letivo de 2010.

PROFESSOR RESPONSÁVEL:
Alceu Elias de Oliveira
Matemática

PORTFÓLIO DA ATIVIDADE DO GESTAR II – TP5

PORTFÓLIO DA ATIVIDADE DO GESTAR II – TP5


UNIDADE 20 – OS TRIÂNGULOS NA VIDA DOS HOMENS: CONGRUÊNCIA DE TRIÂNGULOS.

QUESTIONÁRIO DA 2ª ATIVIDADES NO QUADRO


ATIVIDADE AULA 8 – TRIÂNGULOS SEMELHANTES DA TP5 APLICADA AOS ALUNOS DO 9° ANO MATUTINO E VESPERTINO.


O uso da régua para a aferição de medidas.

Tarefa 1 –

Síntese dos textos de referências segue em anexo;

Tarefa 2 –

a) O ponto mais interessante:

- A atividade realizada em grupos trouxe várias discussões sobre os assuntos levantados;

- Trabalho colaborativo entre os alunos;

b) Duas das maiores dificuldades na realização do trabalho da proposta de transposição com os seus alunos:

- Dificuldades em relação ao uso da régua, como instrumento de aferição de medidas;

- Congruência de Triângulos ou polígonos – tiveram dificuldades de quanto ao reconhecimento do que fazer, não relacionou a palavra congruência com igualdade;

- Na análise do item c da atividade proposta, alguns grupos não conseguiram visualizar quanto à proporcionalidade dos lados dos triângulos trabalhados;

- Leitura e interpretação do enunciado das atividades propostas;

- As réguas não são padronizadas, observou-se que as medidas dos lados dos triângulos foram diferentes;

Tarefa 3-

A atividade desenvolvida pelos alunos do 9° anos, abordava o assunto da UNIDADE 20 – OS TRIÂNGULOS NA VIDA DOS HOMENS: CONGRUÊNCIA DE TRIÂNGULOS, assunto este que vem sendo trabalhado com alunos em sala de aula, porém com a realização desta atividade pude observar que o conteúdo proposto ainda traz muitas dúvidas e conceitos ainda não construídos por eles, assim tomarei como ponto de partida, a retomada do assunto, pois as dificuldades encontradas pelos grupos foram muitas. Também observou-se com a realização desta atividade que as réguas existentes no mercado não trazem medidas padronizadas, e que isso deve ser considerável quanto à aplicação desta atividade. O trabalho em grupo, ainda é uma metodologia que tem que ser desenvolvida com alunos, pois é o momento em que devemos trabalhar junto aos alunos o respeito à opinião do outro, assim como se deve respeitar a minha. Mostrando sempre que as opiniões se divergem, para que possamos chegar a um denominador comum, logo o conhecimento ou aprendizado aconteça de forma espontânea, sem o uso da regras e conceitos pré-ditados, mas sim construído por eles mesmos.

Prof. Alceu E. de Oliveira
Matemática
E.M. Fauze Scaff Gattass Filho

DESAFIO DE MATEMÁTICA - ATIVIDADE AVALIATIVA PARA O DIA 28/05

1- O sistema de numeração que utilizamos hoje foi criado pelos hindus e divulgado a outros povos pelos árabes, em suas viagens. Por isso, ele é conhecido como indo-arábico. Uma das características desse sistema é o chamado princípio do valor posicional. Assim, na escrita 555, o algarismo 5 pode valer 5, 50 ou 500, dependendo de sua posição nessa escrita. Quando escrevemos 60.789, o “valor” do algarismo 6 é

(A) 60.

(B) 600.

(C) 6.000.

(D) 60.000.

2- Os antigos egípcios necessitavam de medidas. Seus técnicos e fiscais de obras usavam fórmulas para calcular comprimentos e áreas. Os egípcios usavam o cúbito como unidade de medida. O cúbito correspondia à distância do cotovelo até o dedo médio do faraó.
Assim sendo, é razoável afirmar que um cúbito correspondia, aproximadamente, a

(A) 20 cm.

(B) 40 cm.

(C) 70 cm.

(D) 90 cm.

3- Para medir grandes extensões, os antigos técnicos egípcios utilizavam cordas com nós localizadas em distâncias iguais uns dos outros. O intervalo entre os nós podia corresponder a vários cúbitos, dependendo da extensão a ser medida. (O cúbito era igual à distância do cotovelo até o dedo médio do faraó).
Um técnico egípcio utilizou uma corda onde a distância entre dois nós era de 7 cúbitos. Pode-se afirmar que, dentre as alternativas abaixo, a quantidade inteira de cúbitos que ele consegue medir é

(A) 13.

(B) 20.

(C) 35.

(D) 38.

4- Contar, medir e fazer operações, ler e interpretar informações de gráficos e tabelas, saber argumentar e comunicar um raciocínio são alguns usos de conhecimentos matemáticos para enfrentar diferentes situações. Isso significa que

(A) a Matemática não faz parte da vida cotidiana da maioria das pessoas.

(B) ao cidadão comum basta saber fazer contas.

(C) a Matemática só é importante como matéria escolar.

(D) o cidadão comum precisa dominar os conteúdos matemáticos diversos.

5- O vendedor de uma mercearia precisa totalizar o valor da compra de vários produtos feita por um freguês, para calcular o troco devido. Provavelmente, o vendedor fará, na ordem,

(A) uma subtração e uma adição.

(B) uma adição e uma multiplicação.

(C) uma subtração e uma divisão.

(D) uma adição e uma subtração.

6- Os carpinteiros costumam colocar uma espécie de trava de forma triangular quando fazem portões, telhados, etc. Isso se deve ao fato de que o triângulo é, dentre os polígonos,

(A) o que tem mais ângulos.

(B) o que tem mais lados.

(C) uma figura rígida que não se deforma.

(D) o que suporta maior peso.

7- Pelo sistema de mutirão, uma casa com 60m² pode ser construída a um custo de cerca de R$ 15.000,00. Algumas pessoas, que têm famílias menos numerosas, querem diminuir os custos, eliminando um cômodo de 12m².

Nesse caso, o custo da casa para essas pessoas deve ser rebaixado em

(A) 1/5 de R$ 15.000,00.

(B) 1/4 de R$ 15.000,00.

(C) 1/3 de R$ 15.000,00.

(D) 1/2 de R$ 15.000,00.

8- Segundo dados do Ministério da Previdência Social existem hoje no Brasil um milhão e seiscentos mil aposentados rurais.

Adaptado de Folha de S. Paulo de 08/07/2002.

O jornal apresentou essa informação usando outra forma de escrita desse número, também correta, dada por:

(A) 1,6 milhão.

(B) 1,06 milhão.

(C) 1,006 milhão.

(D) 1,0006 milhão.

9- A dengue, infelizmente, ainda está presente entre nós. Sabemos que uma maneira de evitá-la é não deixar o mosquito nascer. Dentre as “dicas” eficientes temos: Misture 2 ml de água sanitária com 1 litro de água e borrife nas plantas de sua casa. A mistura não faz mal às plantas e mata o mosquito da dengue.

Adotando essa “dica”, o síndico de um prédio preparou alguns litros dessa mistura e colocou-os em galões de 20 litros com uma etiqueta indicativa da concentração da mistura.

Na etiqueta correta, além da informação “contém 20 litros”, deverá constar o seguinte dado:

(A) água sanitária: 0,002%.

(B) água sanitária: 0,2%.

(C) água sanitária: 2%.

(D) água sanitária: 20%.

10- Em virtude de um vazamento no banheiro de sua casa, uma pessoa terá que fazer uma reforma nas instalações hidráulicas. Consultou uma firma especializada e obteve duas propostas:

Proposta I: R$ 4.000,00 independente do tempo gasto na obra.

Proposta II: R$ 2.000,00 de sinal e mais R$ 100,00 por dia gasto na obra.

Para que essa pessoa gaste menos ela deve escolher a proposta

(A) I, se a obra durar 18 dias.

(B) I, se a obra durar 22 dias.

(C) II, se a obra durar 18 dias.

(D) II, se a obra durar 22 dias.



ORIENTAÇÕES:

- Entregar esta atividade: 28/05

- Copiar a atividade e entregar numa folha com capa para o professor (a) substituto. Nas respostas devem conter o raciocínio de como chegou nela.

- Valor da atividade: 2,0 (dois pontos)

- Atividade para o 8° ano A e 9° anos A, B e C.

Barra de vídeo - Matemática

Loading...